Pesquisar este blog

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

A noite em que a Padre Chagas ficou às escuras


Guga, meu dileto amigo e colega chegou a-ta-ca-dí- ssi -mo ontem pela manhã. "Acredita que ainda estou sem luz em casa?" Desde o início da noite passada a chuvarada que inundou várias regiões do Estado, desta vez, pegou uma boa parcela dos que vivem em zonas chiques de Porto Alegre. Guga tem um apartamento na elegante Padre Chagas. Que nunca soube o que é ficar as escuras por mais de 15 minutos. Ele avisou aos criados: se ligarem da Defesa Civil, peça água Perrier. Por favor! Na tarde desta terça-feira, Guga ainda andava às voltas com a falta de energia.


Outro amigo, que atua no setor de refrigerantes e mora no elegante bairro Petrópolis, me fez traumático relato de sua noite e madrugada de horror: "Cheguei em casa às 21h de ontem. Tudo escuro. Sem luz. Subi 4 andares com a luzinha do celular. Abro e porta e vejo minha mulher cercada de velas coloridas. Sobras de aniversário. Uma delas era o número 1 outra o 4. Vermelhas... Ou seja, parecia um despacho vivo dedilhando no laptop..." Jogava paciência! E ouvia meu radinho de pilha, no programa do Pedro Ernesto..." Nossa!


Não resistiu, fez uma piada: "Ouçam o barulho da chuva. Que legal! Lembro dos meus tempos de racionamento de luz... A reação da família foi tão "positiva" que comeu um sanduba e recolheu-se ao berço. Só as 3h voltou a maldita luz...Saravá! A mulher parmanecia no sofá, abraçada a uma almofada. parecia uma espécie de pomba gira furibunda! A filha mais velha tão indignada estava com a falta de luz que foi deitar às 20h.


Ainda no escuro, não conseguia parar de rir da cena dantesca (como diria Ruy Ostemann). O rosto da esposa iluminado por velas vermelhas! Só faltava, farofa e pipoca... Sei lá, Moinhos, Petrópolis e outros bairros nobres no escuro? Pensei na possibilidade de atentado, mas a maioria dos dirigentes de partidos da esquerda popular vivem na região. Foi coisa da Mãe Natureza mesmo. Sábia como sempre.

3 comentários:

Caren Mello disse...

Pois não é que eu não tive problemas desta ordem?! É a vingança da periferia !!

Ari Teixeira disse...

Eu também não tive problemas. Moro em um sítio, no meio do mato de Eldorado do Sul.

Guga disse...

Hehehehe! Acho que eu ia morrer de tédio se eu tivesse nascido em 1890!!