Pesquisar este blog

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

A fúria do Senhor Cotidiano


Vem esfriando como há muito tempo não acontecia. Cadê a droga do aquecimento global? A geada queimou campos inteiros, reduziu pastagens e nos atrasou na hora de chegar ao trabalho, entrincheirados que estávamos entre lençóis e edredons. Também não lembro direito de uma ameaça tão forte como a epidemia de gripe que nos obriga a tomar cuidados extras para não morrer. Em Porto Alegre tem azulzinho abrindo janela de ônibus para espantar vírus. Santo Exagero!

Mas a gripe que é considerada menos letal do que as outras comuns, mata! Da mesma maneira tem chovido, tem soprado vendavais intensos e tantos outros desastres se repetem de forma tão intensa que já pensamos duas (ou mais vezes) antes de sairmos para um cinema, um motel. Todo cuidado é pouco.

O senhor Cotidiano está com as rotinas viradas de cabeça para baixo. Tem a cara de um tio ranzinza que cansou de viver de favores, de salários minguados. Enjoou da consternação de quem é usado, sacudido e espremido por vales-transportes, vales-refeição porque afinal, sempre paga vale ou seja, é mal transportado e mal alimentado.

É bom que estejamos preparados para o novo vírus e principalmente, a nova vacina. Vai custar caro. Muito mais do que se poderia imaginar. Definitivamente o senhor Cotidiano saiu da poltrona puída, largou as chinelas e calçou uma bota pesada para chutar o traseiro dos acomodados e indiferentes. Quer ser feliz? Vá lá e faça a sua parte. Não deixe de expressar-se com a voz da razão. Leia, escute e veja com atenção.

Aproveite o final de semana para interpretar o que dizem as notícias. Escute, mas não decida nada antes de entender um mínimo dos fatos que se atropelam a sua volta. O senhor Cotidiano está irado. Cansou de carregar a fama de que é monótono, vazio, repetitivo. Quer ver cada mortal a tirar lições do frio, dos espirros, dos mortos da baixa estima. Dos que sucumbiram a ignorância.

O senhor Cotidiano rogou tantas pragas que tudo acontece ao mesmo tempo. Só falta começar a aparecerem extraterrestres em nossos pátios. Objetos voadores não identificados deram sinais em Londres. Imagens feitas inadvertidamente por câmeras da sisuda BBC os captaram em rápidos frames.

Estará chegando a hora? Justo agora que achamos petróleo na camada pré-sal? Acho melhor eu parar de tomar tanto café preto. A negra rubiácia me coloca a um passo da paranóia, ou no mínimo, tentado a sair por aí singing the blues. Agora, reclamar do cotidiano, nunca mais!

2 comentários:

CarolBorne disse...

Ô, Arizinho... despalavrei.

Tárik disse...

papis és um genio em textos,senão publicares um livro eu vou ser obrigado a quando você morrer publica-lo em seu nome :D